test

Chuvas ultrapassam média de janeiro nos últimos 6 dias no litoral paranaense

O Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), anunciou que o volume de chuvas acumulado no Litoral em menos de uma semana ultrapassou o esperado para todo o mês de janeiro.

Desde o último sábado (20) até a noite de quinta-feira (25), o volume chegou a 519,2 milímetros em Guaratuba, sendo que a média para o mês é de 386,4 milímetros na cidade.

Em Matinhos e Pontal do Paraná, a precipitação acumulada foi de 355,2 mm e 466,8 mm, respectivamente.

“Estamos com uma previsão de um acumulado de mais 100 milímetros pelo menos até o dia 30, o que requer atenção de todos os órgãos para que possamos dar uma resposta para que menos pessoas sofram nesse momento”, afirmou o coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Fernando Schunig. “O foco agora é no atendimento às famílias desabrigadas e no auxílio aos municípios. As equipes de emergência também estão a postos caso seja necessário”.

Segundo a Defesa Civil Estadual, 11.592 pessoas foram afetadas pelos temporais em Matinhos, Guaratuba, Ponta do Paraná e Guaraqueçaba. Até o fim da manhã desta sexta-feira (26), 92 pessoas estavam desalojadas (50 em Matinhos, 36 em Guaratuba e seis em Ponta do Paraná) e 62 estavam desabrigadas (61 em Guaratuba e uma em Matinhos).

Para amenizar a situação das famílias atingidas, o órgão está atuando em parceria com os municípios e já enviou caminhões com ajuda humanitária, contendo colchões, cestas básicas e kits dormitório, higiene e limpeza. Além disso, desde o início das ocorrências, no último sábado, a Defesa Civil encaminhou 25 alertas de temporais à população. No começo da temporada também foi feito um treinamento com as equipes municipais para atendimentos emergenciais.

Já o Corpo de Bombeiros atendeu 91 ocorrências ao longo desta semana, incluindo alagamentos, deslizamentos, quedas de árvore e também o desmoronamento de uma residência. Eles auxiliaram, por exemplo, na remoção de famílias que estava em áreas ilhadas e no transporte de pessoas aos abrigos municipais, hospitais ou outros locais onde elas pudessem ficar em segurança.

As equipes do Governo do Estado estão com foco na limpeza das vias públicas e na coleta de resíduos no Litoral. O Instituto Água e Terra (IAT) também está dando suporte às cidades no desassoreamento e limpeza dos canais para melhorar o escoamento das águas, para evitar novos riscos de enchente. Cerca de R$ 26 milhões foram destinados para esse trabalho nesta temporada. Seis equipes do órgão estão trabalhando na parte de desassoreamento e limpeza.

A preocupação da Secretaria da Saúde é com relação às doenças que podem ser causadas em consequência das enchentes e alagamentos, como a leptospirose, diarreia, hepatite A ou mesmo o avanço nos casos de dengue. Por isso, com auxílio dos profissionais do Verão Maior, a pasta vai fortalecer as ações de prevenção de doenças, dando apoio aos municípios – desde o início da temporada, mais de 55 mil atendimentos em saúde já foram realizados no Litoral.

Um dos focos é na eliminação de possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, como em locais onde há lixo acumulado. Também serão feitas recomendações à população que está exposta aos riscos das enchentes, com a orientação das pessoas que vivem nessas áreas e distribuição de materiais educativos em suas casas. Serão distribuídos, ainda, sacos de lixo para que as pessoas removam os potenciais criadouros de seus domicílios.

Fonte: www.bemparana.com.br

Compartilhe

Leia também