test

Após um final de semana de tempo aberto na maior parte do Estado, temporais voltaram a atingir o Paraná e causaram estragos nesta semana.

Desde segunda-feira (10) cidades no Interior registraram alagamentos e inundações por causa do volume acentuado de chuvas, que segue nesta terça-feira (11). Até o momento os maiores estragos foram identificados no Sudoeste, com residências danificadas.

Foram, de acordo com o Simepar, 108 mm de chuvas em Francisco Beltrão, 96,4 mm em Clevelândia, 89,6 mm em Pato Branco, 88,4 mm em Dois Vizinhos, 87,6 mm em Capitão Leônidas Marques, 73,4 mm em Palmas e 60,4 mm em São Miguel do Iguaçu na segunda-feira.

A Defesa Civil Estadual, com o apoio do Simepar e de outras instituições do Estado, está fazendo o monitoramento da região e acompanhando as ocorrências em todo o Paraná. O Centro Estadual de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CEGERD) está em contato com as equipes de emergência para verificar quais os locais mais afetados e que precisam de suporte rápido. As informações de monitoramento repassadas pelo CEGERD auxiliam na resposta das equipes locais.

As ações de salvamento estão sendo realizadas pelas equipes do Corpo de Bombeiros, que apoiam as defesas civis locais. “Estamos mobilizando ajuda do Estado para os locais mais afetados com as novas chuvas para que as pessoas recebam o amparo da Defesa Civil imediatamente, em parceria com as prefeituras”, disse o coronel Fernando Schunig, coordenador estadual da Defesa Civil.

Em Francisco Beltrão, além dos alagamentos na área central, uma casa de madeira chegou a ser arrastada pela correnteza. Cerca de 500 residências foram afetadas. O Rio Marrecas ainda deve subir mais o seu nível ao longo do dia porque as chuvas continuam intensas na cidade. Um posto de comando e resposta foi ativado do Quartel do Corpo de Bombeiros.

Pato Branco também sofre com diversos alagamentos na cidade, com 50 residências impactadas e quatro pessoas desabrigadas. Em Vitorino, pontes foram danificadas na tarde de segunda, afetando a mobilidade de uma comunidade. Há ainda notificações de ocorrências em Ampére e Clevelândia. Os locais ainda recebem atendimento da Defesa Civil,

NÚMEROS: 

Pato Branco – até o momento foram contabilizadas 50 casas afetadas, com quatro pessoas desabrigadas.

Francisco Beltrão – uma residência destruída e estima-se que 500 residências tenham sido afetadas.

Clevelândia – cinco casas sofreram com inundação.

Vitorino – duas pontes foram afetadas, prejudicando a mobilidade de 110 pessoas.

Ampére – vinte residências foram afetadas por causa das chuvas.

Compartilhe

Leia também