test

Inflação prévia do Brasil desacelera pouco em abril

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial, registrou um aumento modesto de 0,21% em abril, revelou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira. O índice é inferior ao observado no mês anterior, que foi de 0,36%, e também abaixo da taxa de 0,57% de abril do ano passado.

No acumulado do ano, o IPCA-15 apresenta uma elevação de 1,67%. Olhando para o período de 12 meses, a inflação medida pelo indicador é de 3,77%, uma queda em relação aos 4,14% registrados até março.

O setor de transportes exerceu a maior influência para a redução da taxa, com uma deflação de 0,49%. Itens como passagens aéreas, com uma queda expressiva de -12,20%, gás veicular (-0,97%), óleo diesel (-0,43%) e gasolina (-0,11%), foram os principais responsáveis pela diminuição dos preços.

Em contrapartida, o grupo de alimentação e bebidas teve um incremento de 0,61%, limitando a queda da inflação. Produtos como tomate (17,87%), alho (11,60%), cebola (11,31%), frutas (2,59%) e leite longa vida (1,96%) tiveram as maiores altas. Por outro lado, a batata-inglesa (-8,72%) e as carnes (-1,43%) contribuíram para a redução da inflação alimentar.

Outras categorias de despesas tiveram as seguintes variações: saúde e cuidados pessoais (0,78%), vestuário (0,41%), despesas pessoais (0,40%), comunicação (0,17%), habitação (0,07%), educação (0,05%) e artigos de residência (0,03%).

Os dados coletados entre 15 de março e 15 de abril deste ano serviram de base para o cálculo do IPCA-15 de abril.

 

Compartilhe

Leia também