test

Fórum reúne especialistas e movimenta mais de R$ 200 milhões em negócios voltados a micro e minigeração de energia no Paraná

Destacando a importância da transição energética e inovações no setor de geração distribuída, evento foi realizado em Curitiba

 

Entre os dias 17 e 18 de abril de 2024, a cidade de Curitiba, no Paraná, foi palco da 23ª edição do Fórum Regional de Geração Distribuída na região Sul (Fórum GD Sul). O evento, sediado na Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP), reuniu cerca de dois mil participantes e movimentou mais de R$ 200 milhões em negócios, consolidando-se como um dos principais encontros do setor no país.

 

Organizado pelo Grupo FRG Mídias & Eventos em parceria com instituições de renome como FIEP, TECPAR e Sebrae, o evento teve o intuito de explorar oportunidades de negócios na região Sul, assim como discutir desafios regulatórios, avanços tecnológicos, financiamento, capacitação e perspectivas de crescimento. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) a produção dos três estados da região Sul em GD chega a 7,07 GW de potência instalada, dos 28 GW totais produzidos no país. O Paraná, sozinho, acaba responsável por 2,6 GW dessa potência, sendo um dos destaques de crescimento dos últimos meses, segundo Tiago Fraga, CEO do Grupo FRG Mídias & Eventos.

 

“O Paraná hoje está em quarto lugar na colocação, pouco atrás do Rio Grande do Sul que detém em torno de 2,6% de todo o potencial instalado no país e o Paraná está com 2,5%. O que é bem interessante é que o Paraná cresceu muito nestes últimos dois anos, porque ele figurava entre sétimo, sexto, e então deu esse salto gigante e a gente sabe que o estado do Paraná tem um potencial ainda maior e com certeza esse setor de geração distribuída vai ser uma fonte de receita” afirma Fraga.

 

Dos destaques do Fórum

 

O Fórum GD Sul contou com a presença de renomados especialistas e profissionais do setor energético como Flávio Wacholski do CREA-SC, Lucas Lima representando a FIEP, Gabriel Tiago Schuhli da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Sustentável do Paraná, Eduardo Felga Gobbi do TECPAR e UFPR, Mauro Passos do Instituto Ideal e Roberto Corrêa da ABRAPCH.

 

Dentre as empresas participantes estavam: PHB, Edeteltec, Embrastec, Hypontech, WEG, Inoxpar, Odex, Izzy Energy, Axial, INVT, AE Solar, Dynamo, ZnShine, Fotus, Hopewind, Soollar Distribuidora, Ourolux, Trina Solar, CCM e WebConecte.

 

Nos temas debatidos, por sua vez, se destacaram a necessidade da transição energética no Brasil, assim como o uso de inversores híbridos, boas práticas de vendas, armazenamento de energia, reforma tributária, sistemas de minigeração e o mercado livre de energia. Para Fraga, a 23ª edição alcançou todas as expectativas da organização, se mostrando mais uma vez uma ferramenta importante na consolidação do setor no Brasil. “Nesses dias falamos sobre as principais tendências, as novas tecnologias, falamos sobre financiamento, como está a situação hoje de homologação. Trouxemos palestrantes com o intuito de capacitar integradores, que são esses agentes que vendem esses sistemas de geração distribuída que é o cliente final” explica ele.

 

“O evento realmente foi um sucesso, principalmente para quem teve interesse em conhecer as novas tendências, as novas tecnologias, as novas oportunidades, conhecer um pouco mais sobre o mercado livre, onde tivemos um painel todinho falando sobre o mercado livre de energia e que se abriu agora para 2024” complementa Fraga.

 

A experiência de quem esteve presente

 

Por fim, Gabriel Luis Flissak, integrador da Sudoeste Solar e participante do evento, também compartilhou sua experiência durante o Fórum GD Sul. Ele comenta que o evento foi extremamente interessante para integradores solares, visto que as palestras abordaram temas atuais e essenciais para a atuação do profissional no mercado GD brasileiro.

 

“O Fórum GD Sul foi bem interessante para a diversidade de palestras que teve. Na minha visão abordou temas que estão na atualidade do mercado de energia solar. Para gente que é integrador há alguns anos já e percebendo o quanto o mercado se molda a cada momento, cada vez mais rápido, o Fórum GD trouxe muito conhecimento em todas as áreas, principalmente quando se fala em armazenamento de energia, a parte do carbono e do hidrogênio, PCHs, algumas outras fontes de energia vinculadas ao Solar e a GD diretamente. Foi muito bacana poder participar do evento” ressalta Flissak.

 

Com uma programação rica em conteúdo e oportunidades de networking, especialistas acreditam que a 23ª edição do Fórum GD Sul reforçou a importância da colaboração entre os diversos atores do mercado de energia renovável e consolidou-se como um catalisador de negócios e conhecimento para o setor.

 

A próxima edição do Fórum GD, por sua vez, acontecerá em junho, em Cuiabá, Mato Grosso. Mais informações sobre ela podem ser acessadas no site oficial pelo link: www.forumgdcentrooeste.com.br.

Compartilhe

Leia também